Saindo do armário

Boa noite!
Venho ao mundo hoje me revelar. 
Saio do armário para assumir que sou muitas. 
Tenho muitos lados, alguns que eu muitas vezes desconheço…
Mas estão todos aqui. 
Então, abrindo as portas empenadas e carcomidas exponho cada um dos meus lados que irão compor as minhas postagens daqui para diante.

1. O lado self: o lado mais obscuro e camuflado. Esse eu escondo até de mim. Mas é o meu lado contestador, inconformado, transformador, teimoso, polêmico…

2. O lado mulher: feminista, indignada, batalhadora, ingênua, forte, sonhadora, e todas essas coisas que eu acho uma grande bobagem, mas que estão lá (e agora estão aqui dentro).

3. O lado mãe: amorosa, dedicada, esforçada, engajada, superada, e todos esses adjetivos que nem existem, mas que passam a fazer parte da gente quando pare um filho.

4. O lado professora: idealista, esforçada, resiliente,  guerreira…

5. O lado dancing queen: (ou tequila woman para os íntimos), boêmia, dançarina, arruaceira, botequeira, festeira, e todas aquelas coisas que a minha mãe dizia que moça direita não podia ser…

6. O lado vadia: a que dá pra qualquer umx, mas só pra quem quiser, bissexual, que gosta de sexo, de fazer, de falar sobre, de aprender mais.

É… Todos os meus lados juntos dá tudo isso e mais alguma coisa…


Mas porque fazer todo esse drama, você se pergunta?

Veja bem, fui criada em uma família tradicional, branca, católica, classe média… 
Clássica estrutura conservadora camuflada de liberal…

Um vida inteira de mensagens dúbias, do tipo “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” deixaram como saldo culpa… muita culpa… e muita coisa embaixo do tapete.

Fiz uma primeira tentativa de blog (veja aqui), mas era só mais um jeito de me camuflar.

Então, agora grito ao mundo: estou me libertando!