Imensa

“Olhei-me no espelho e vi Bilquis* sendo engolida pela rotina, pelo descaso, pela pressão. Senti caírem todos os pedaços que cortei na carne para me adaptar a um espaço tão pequeno: liberdade, audácia, talento, vontade, gozo. Tudo me foi sendo tirado lentamente, nem notei. Só me enxerguei quando saí dessa redoma apertada. Abri os olhos e percebi que já não cabia no desejo estéril, na presença muda, no abraço distante, na suave reprovação. Cresci silenciosamente e deixei que meus membros livres retomassem sua imensidão. É um tanto assustador ser enorme. Não me encaixo nos espaços, vou esbarrando em pessoas e coisas, me acostumando a ser imensa. Ser assim descomunal assusta quem me enxerga. E dói, muito tempo essa amplitude contida e represada. Olho para o lado e vejo outras mulheres se agigantando, esticando o corpo ereto. Altivas, caminhamos juntas, excessivamente espaçosas. Não há mais o que nos contenha.”

*Bilquis: Rainha de Sabá, representada no livro e na série American Gods, de Neil Gaiman.

 

 

08102017

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s