Menudo

A vida toda está indo embora, cada dia uma nova tristeza de adeus. Deixar ir é deixar doer, é abrir espaço para o vazio. Li hoje que um Menudo não deveria morrer e penso em como meus unicórnios e fadas se foram todos muito cedo e por isso aqui é tudo abismo e deserto. Às vezes acho que nunca tive uma chance, já cheguei estragada, poderia haver um aviso de defeito de fabricação. Porque ninguém deveria viver em constante devastação, não o tempo todo, sem trégua nem respiro. Passei 24h sozinha e isso foi o que bastou. Sinto falta do seu abraço, seu sorriso continua comigo. Mas são dias demais.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s